21° Volume – COMMUNICATION POLICIES IV

Posted on June 19 2012 by admin

I – ASPECTOS DO DESENVOLVIMENTO DO CURSO DE COMUNICAÇÃO DA UnB – ANOS SETENTA

1) a) Relatório das atividades do curso de comunicação em 1970 – uma expansão significativa em todos os campos; – b) Complemento do relatório de 1970- A questão dos alunos sob dois currículos; -c) relatório do diretor do curso de comunicação ao reitor em julho de 1970 quando entregou o cargo e foi renovado no posto; d) relatório ao Reitor Caio Benjamin Dias sobre visitas feitas a instituições no Rio e SP para dinamização do curso de comunicação da UnB; e) exposição do diretor do curso aos professores do Departamento de Comunicação em julho de 1970 – Perspectivas para 1971- f) Anúncio do curso em bloco de jornalismo; g) Reação dos estudantes ao ensino em bloco.

2) “Comunicação-UnB: um sonho em vias de dinamização” – artigo de Cristina Autran em Cadernos de Jornalismo e Comunicação do Jornal do Brasil, no. 26 (1970).

3) “Educação” – artigo de Geraldo Tassinari – publicado na revista Relações Públicas – RP- Ano I – no. 2- 1971.

4) “Comunicação UnB: experiências depois de anos com as artes” – Diário de Brasília – Informe Pesquisa- 17 de novembro de 1974.

5) “Comunicação Social” – Editorial do Diário de Brasília – 15 de agosto de 1974.

6) Versão de uma estudante dos anos 70 da história do curso de comunicação da UnB (1977) – Trabalho da aluna Sonia Wolf Durão para a
disciplina EJ (Edição de Jornalismo) em 1977.

7) – a) Ensino de Publicidade: “Relato de uma experiência, 40 anos depois”(2011) – artigo do Professor Venício Artur de Lima publicado em 2011 no “Observatório da Imprensa” relatando a experiência de ensino em bloco na UnB na área de comunicação; b) “Diferença de enfoques no trato da publicidade pode ser benéfica a estudantes e à sociedade”, palavras de Marco Antonio Rodrigues Dias no encerramento do Seminário e Festival de Publicidade- UnB- Departamento de Comunicação da UnB – 1971 – c) Programa do Festival e seminário; d) Nota de “O Estado de São Paulo de 27.6.71- “Arrecadações preocupam DF”.

8) JORNALISMO COMPARADO NA UnB: a) Programas do curso nos anos setenta – b) exemplo de texto distribuído aos alunos: “Publicidade e meios de comunicação”

9) Relação de alunos que se bacharelaram em Jornalismo na UnB entre 1967 e primeiro semestre de 1971.

10) “PREFÁCIO” ao livro “Comunicação e cidadania: conceitos e processos” de autoria coletiva de professores de comunicação da UnB – Editora Francis 2011- Por Marco Antonio Rodrigues Dias.


II- COMUNICAÇÃO RURAL

11) Comunicação rural – “Falar em Comunicação para o desenvolvimento é falar em comunicação rural” – Ecos do Io. Congresso Brasileiro de Informação Rural realizado em Brasília, na UnB, de 4 a 8 de maio de 1970 –a) Apresentação pela ABIR, Associação Brasileira de Informação Rural e b e c) dois discursos do Professor Marco Antonio Rodrigues Dias, na abertura e no encerramento do congresso.

12) Transferência da Rádio Rural para a Amazônia – relatório de comissão nomeada pelo Ministro Cyrne Lima para estudar a transferência da Rádio Rural do Rio de Janeiro para a Amazônia.

13) Impacto na imprensa das atividades e resultados do Io. COBIR- Congresso Brasileiro de Informação Rural e da notícia sobre a transferência da Rádio Rural para a Amazônia ou Brasília: a) Correio Braziliense – Io. COBIR atingiu seus objetivos; b) Infiltração radiofônica na Amazônia vai acabar; c) O Estado de São Paulo – 06.05.1070- Rádio Rural protegerá Amazônia.


III- CÓDIGO POSTAL E DE TELECOMUNICAÇÕES

14) a) Teleradiodifusão e Radiobrás no projeto de novo Código Postal e de Telecomunicações nos anos setenta (In construction) – b) Direção da Radiobrás.

15) Contradições e debates sobre anteprojeto de um Código Postal e de Telecomunicações nos anos setenta – a) Primeira nota destinada a Euro Brandão e Ney Braga; b) Novos comentários destinados ao secretário-geral do MEC sobre projeto do Código Postal e de Telecomunicações; c) Comentários adicionais de M.A.R. Dias ao projeto de Código Postal e de Telecomunicações com anexo sobre concentração nos meios de comunicação.

16) Reações a uma versão do Código feita sob medida para grandes grupos monopolistas – Governo Figueiredo – Nota ao diretor do Departamento de Comunicações e Transportes do Ministério do Exército em 1976.


IV- ALTERAÇÕES NA PROGRAMAÇÃO DO MEC E POLÍTICA DE RECURSOS HUMANOS PARA RÁDIO E TELEVISÃO

17) Do Prontel ao DAT – Propostas de Grupo de Trabalho de que fez parte o Professor M.A.R. Dias de alterações na estrutura administrativa do MEC no campo de tecnologias educacionais com a transformação do antigo PRONTEL –Programa Nacional de Teleducação em DAT (Departamento de Aplicações Tecnológicas)- (In construction) (In construction).

18) Recursos humanos para rádio e televisão- Recomendações de GT nacional presidido por M.A.R. Dias, finalizado em 19 de agosto de 1974, analisando problemas relativos à preparação de recursos humanos para rádio e televisão no Brasil e propondo medidas concretas para melhorar este tipo de formação.

19) Programa de um curso de especialização para professores de rádio e de televisão.

 

V- POLÍTICA DE INCENTIVO AO CINEMA NACIONAL

20) Incentivo ao cinema nacional – Relatório datado de 01.12.1978 do Grupo de Trabalho designado pelos Ministros da Educação e Cultura e das Comunicações para tratar da veiculação do filme brasileiro de longa-metragem e dos seriados nacionais nas televisões do país e estudar a questão da ocupação do mercado de televisão pelo filme brasileiro de curta-metragem. O grupo foi constituído por Antonio Loureiro (Embrafilme), Edson de Almeida Castro (Secretaria Geral Minicom), Luis Antonio Lima Macedo (Prontel-MEC), Marco Antonio Rodrigues Dias (UnB-MEC), Maria Castro (Minicom), Paulo Bastos Martins (Embrafilme). Inicialmente, tinha sido constituído um grupo interministerial que se reunira no Rio nos dias 5 e 6 de outubro de 1978. A constituição desse grupo foi provocada em função de conclusões da VII Jornada de curta-metragem realizada de 8 a 15 de setembro de 1978 e da análise das propostas dos professores da UnB no documento Política Nacional de Comunicação na área do MEC de 1975.

21) Nota do Jornal do Brasil, em 16 de agosto de 1977, sobre financiamento do MEC a filmes nacionais, como forma de incentivo.

 

VI- DISCURSOS DOS MINISTROS DA COMUNICAÇÃO E DE EDUCAÇÃO E CULTURA SOBRE POLÍTICA NACIONAL DE COMUNICAÇÃO COM ELEMENTOS PROVENIENTES DA UnB

22) “A teleducação e os objetivos educacionais do MEC” – palestra do Professor Euro Brandão, secretário-geral do MEC e, em seguida, ministro da educação e cultura, pronunciada por ocasião do encerramento do VI Seminário Brasileiro de Teleducação, no dia 2 de outubro de 1974.

23) “A Televisão como meio de comunicação de massa” (1974) – Ministro Euclides Quandt de Oliveira- palestra proferida na Faculdade de Comunicação Social Anhembi de São Paulo, no dia 19.11.1974- Minicom, Brasília.

24) “A televisão no Brasil” – (1975) – Aula inaugural do Curso de Comunicação do CEUB – Centro de Ensino Unificado de Brasília- pelo Ministro Quandt de Oliveira, em 17 de fevereiro de 1975.

25) “Comunicação e Desenvolvimento” – conferência proferida pelo Ministro Euclides Quandt de Oliveira, por ocasião da abertura do Seminário latino-americano de comunicação, promovido pelo Departamento de Comunicação da Universidade de Brasília.

 

VII- DOCUMENTAÇÃO COMPLEMENTAR

26) Symposium on mass communication policy in rapidly developing societies – Iran- 1975- (In construction).

27) Normas sobre publicidade em radiodifusão – Proposta elaborada em 1976 pela Assessoria do Ministro das Comunicações responsável pela iniciativa e pelo conteúdo. Não se trata de texto elaborado na UnB embora professores de diversos departamentos e institutos tenham feito sugestões, algumas acolhidas outras não levadas em consideração.

28) Relatório de Grupo de Trabalho Informal Interministerial (Educação, Comunicações e Justiça) sobre meios de comunicação.

Leave a Reply

You must be logged in to post a comment.